'os produtos expostos são para consumo no estabelecimento'

...
Ultimamente não tenho andado a saltitar de blog em blog como costumava fazer aqui há uns tempos, por lapso e distracção, ou mesmo por falta de paciência para certos conteúdos que não me interessam e me fazem ficar um bocado intrigada por haver tantos aplausos a coisa nenhuma.

Começo a ver demasiados textos cujas vírgulas são estupidamente substituídas por reticências (desconheço e não compreendo o motivo), a transbordarem de clichés e frases copiadas do icanread, ou de um diário de uma adolescente de doze anos, que em cada frase conseguem criar metáforas e comparações, com expressões como: 'as flores sorriram para mim...' e até com erros ortográficos para ajudar ao baile.

Todos temos os nossos sentimentos e faz bem partilhá-los, desabafarmos e tudo mais mas, se nossos serão, convém, no mínimo, sabermos exprimi-los à nossa maneira, sem andarmos às voltas a tentar fazer poesia prosaica para fingirmos que somos umas grandes divas do romance moderno e soarmos a Margarida Rebelo Pinto. Até porque nisto há que ter bom senso e saber incluir uma parte de nós no que fazemos, porque ser piroso é diferente de estar/ser sensível/sentimental. Na verdade, bem espremidos a maior parte dos textos não diz absolutamente nada, a não ser uma ideia muito floreada de uma situação hipotética, sem existir ponta de nexo e nada 'real próprio'.

Gosto de ler coisas de pessoas que sendo 'anónimas' (todos nós aqui o somos, uns mais do que outros) têm personalidade no que escrevem e que põem o seu cunho pessoal no que partilham (com textos brilhantes, parvos, lamechas, ridículos, circunstanciais, apaixonados, intrigantes; vale tudo!), sem terem que se agarrar a pensamentos bonitos para soar melhor; que quando escrevem tanto lhes importe ter zero, um, cem ou trezentos comentários ao post: que o façam somente porque lhes apetece e não porque estão a pensar que há quem vá aplaudir o que fizeram.

Sei que tenho pessoas que vêm cá de vez em quando (pelos comentários ou pelo contador - que se não estivesse ali, eu nem acreditava), uns quantos curiosos ocasionais,  outros que só vêm cá para dizer mal de alguma coisa, ou ver se falo sobre sexo e dicas para apimentar relações, como ser uma cabra do pior, ou sobre o verniz que me estalou no dedo mindinho do pé (e que tristes abalam ao seu terceiro segundo aqui: desculpem, sim?), ou quem se tenha enganado, ou  mesmo quem nem goste de nada disto e abale da mesma forma que entrou.
Não me julgo superior, nem serei superior a outros autores de blogs, ou mesmo a quem quer que seja, somente aqui quem gosta: lê, quem não gosta tem muitos outros blogs por onde escolher: juro que não me incomoda.   
Porque escrevo e partilho o que me apetece, quando me apetece e como me apetece. Dou erros como toda a gente, debito parvoíces a qualquer hora mas, ao menos faço-o porque me apetece, e não porque tenho uma imagem a desenvolver ou a defender perante quem cá vem - de me serviria tal coisa?
(ah, e no caso de algum dia isto vos soar a um pardieiro sem sentido, avisem-me... porque vos agradeço).

"better write to yourself and have no public
than write to the public and have no self."
Cyril Connolly

17 comentários:

Rosa Cueca disse...

Gosto da frase, true, true.
A falta de personalidade chega a todo o lado, até à blogoesfera ;)

Pirate disse...

Cara Ana
A "biodiversidade" tb existe na internet e isso, no meu ponto de vista,é uma das coisas que a enriquece...a única diferença é que a coisa não funciona como na teoria evolucionista do Darwin "the survival of the fittest" :-)
É mais ou menos como as TVs generalistas, "garbage in, garbage out", se é que me faço entender...

Ana, Dona do Café disse...

Claro que sim: gostos são gostos. Não critico temáticas de blogues, atenção, muito pelo contrário, a parte boa é haver realmente diversidade.
Critico a falta de personalidade, como referiu a Rosa Cueca, o ler sempre as mesmas coisas ditas de maneiras bem semelhantes, com as mesmas frases feitas, as guerras e os hatebloggers por todo o lado a espalharem magia. Cansa.
Tenho saudades da blogosfera de há uns 6 anos atrás...era bem diferente. :)

Domingos Pereira disse...

Para vos ser muito honesto, não entendo a indignação, ou sequer o desabafo. Cada um escreve o que quer e é lido porque quem quiser. Haverá conteúdos e respectivos consumidores para todos os gostos.

Esta observação que fazes é a mesma coisa que se dizer que qualquer pessoa pode publicar um livro e que devia haver mais exigência e etc. e tal. Havendo leitores não vejo porque os gostos de uns têm que se sobrepor aos de outros.

O que é mau para todos acabará por morrer.

Olha um pequeno aparte. Este teu post está identificado como estando a fazer uma hiperligação para um dos post do blog de CO (Assistente de Marketing). Alguma explicação?

Ana, Dona do Café disse...

Não digo que deveria haver selectividade e escolher-se quem deveria ter um blog ou não, pelos conteúdos ou forma do que escreve.
Mas há algumas pessoas que debitam paleio para os blogs sem terem quase noção do que para ali estão a dizer - 'porque é fixe ter um blog e ter gente que me lê': a maior parte deve acreditar piamente que ter um blog dá personalidade a alguém; ora, quando ela não existe, não será o blog a fazer o parto! :p

Simplesmente deu-me para pensar que o facto de se ter um blog onde publicas coisas, além de ser estúpido que metade delas não sejam tuas (há blogs com fotografias, textos, pensamentos e poemas que não são dos autores e nem citação aos mesmos existe), há que ter o mínimo de ti no que estás a criar, senão abres um site; no entanto, agarram os elogios à mesma...

Neste momento há blogs criados para dizer mal de outros blogs. Há blogs criados a imitar outros blogs. Há pessoas que vão comentar a blogs de que nem gostam, só para arranjarem visitantes para os seus blogs. Há pessoas a hackar blogs e a entrar no email dos autores, só porque cismaram com a pessoa e pretendem fazer-lhe a vida negra (ninguém entende por quê, não serei eu a tentar).
Cada vez mais isto dos blogs começa a tornar-se mais do que um espaço de partilha, desabafo, negócio, um espaço de gente mesquinha que não sabe o que fazer à vida. Há muita gente que ainda consegue insinuar que, se um blog tem poucos comentários, provavelmente não valerá um chavo, que se deve falar de temáticas-chave (como as que eu digo no post, entre outras) para chamar e cativar os seus visitantes ora, cada um tem critérios e os meus não passam por nada disto...
A Deia percebeu a ideia, já que há uns quantos anos que frequentamos aqui os estaminés - nessa perspectiva, dá para entender o post.

beijo*

Ah e este post poderá aparecer com uma hiperligação para o post no blog de CO porque, basta alguém ter clicado ali no feed automático quando fizeste essa publicação e ali apareceu para lá ir ter vinda desta página deste post... não tenho outra explicação :)

M. disse...

É do que mais gosto: Os paladinos do bom gosto e da correcção.
Gosto de vírgulas mas não de reticências…Então critico as reticências…

Por acaso gosto das…
Até porque as… fazem parte da escrita. Tanto como as ,,,

Depois o costumeiro: não quero criticar, mas…
Cada um faz o que quer, mas…
Quem sou eu para julgar, mas…

É mesmo a tuga! Não é como eu gosto (ler: não é tão bom como eu…) então pouco valor se lhe deve atribuir.
Melhor: nenhum!

Viva o dogma da liberdade criativa… e …Lda

E claro que não podia faltar o “há uns anos atrás é que era bom!”.

Suspiros…

M. disse...

Sem preconceitos nem soberba: gosto do que escreves e como escreves.

Gosto de personalidades vincadas (com os devidos pressupostos)

Não concordo com algumas coisas, mas esta é a parte melhor...

Ana, Dona do Café disse...

ora pois, se na tugalândia habito, terei também hábitos tugas incutidos :p No entanto, note-se que: ares superiores não é comigo, se há coisa que me deixa possessa é narizes empinados e não me consigo incluir neste rol, talvez neste post/comentários peque por não exprimir isso devidamente (acontece) mas, algumas coisas de que falei não ficam bem explicadas sem o exemplo que 'me fez/faz saltar a tampa', no entanto, ao mostrar o que me fez/faz ter esta espécie de desabafo estaria a apontar o dedo e isso é feio...estaria a pactuar com as seitas de blogs que se acusam uns aos outros. é mau.

acho que a carapuça servirá a alguns e espero que a muito poucos, pois gosto tremendamente de gente com personalidade e originalidade.

mas a sério, há quatro anos, quando este blog era uma calmaria e eu era uma jovem (ahahah), os blogs que frequentava (e que deixaram de existir) eram bem diferentes...
Ainda há para aí muitos blogs bons, mãos cheias deles! E ainda bem :)

M. disse...

Ok

Não te julgo nem era isso o pretendido!

Terás as tuas razões!

Abraço

Ana, Dona do Café disse...

não levei a mal, aprecio críticas bem feitas.
Sai um cafezinho de final do dia para a mesa do M., oferta da casa :)

* Finding_Neverland * disse...

Boa noite! :)

Antes de mais, gostei do post, embora reconheça que utilizo uma ou outra referência que indicaste. (peço desculpa por tratar-te por tu. Mas se houver problema é só dizer) ;)

Sigo este blog por gostar do que escreves, como escreves, quando escreves. Por ir ao encontro do que gosto, do que poderei vir a gostar e de ter a audácia e o cunho de mostrar do que não gosta sem floreados ou meios-termos. ;)

Tenho o meu blog há uns quantos mesitos (ainda é bebé, portanto) e escrevo o que me apetece, quando quero, com ou sem erros gramaticais. Utilizo textos que não são meus, mas tenho o especial cuidado de colocar o autor. Também utilizo fotografias com frases, mas faço referência ao site de onde as tiro. Se é cliché ou não para "atrair" alguém, não sei. Corresponde ao que sinto naquela altura.

Comento posts de uns quantos blogs (como é o caso deste)sem pretender nada em troca. Nunca tive essa intenção nem pretendo fazê-lo. Posso ser chata, lamechas, picuinhas e transmitir isso nos meus post's, mas ao menos sou eu. :) E não me importa sequer ter 1 ou 0 comentários.

(Isto é apenas um desabafo. Desculpa o testamento).


Beijinhos. E continuação de excelentes post's como este. :)

Ana, Dona do Café disse...

qual testamento, qual quê..e trata-me por tu POR FAVOR! :D

Eu sou mais leitora silenciosa, do que uma comentadora.
Se de vez em quando houver um comentário meu, é sinal que lá passarei de vez em quando...
Há posts em que até um comentário é desnecessário. :)
E até para se saber do que gostamos ou não, lemos coisas de que não gostamos...não se pode agradar a toda a gente! É perfeitamente normal.

É engraçado ter reacções de quem cá passa mas, se não disserem nada, não vou pensar que sou uma desgraçada e que tenho que escrever sobre outras coisas para agradar a públicos diferentes... não seria 'eu' :P

beijinho

Luís Filipe C.T.Coutinho disse...

Relaxa ana, ou ainda tens um colapso!

beijos

* Finding_Neverland * disse...

Totalmente de acordo, Ana! ;)

Beijinhos *

Bluebluesky disse...

clap clap clap clap!

Micael Sousa disse...

Ainda se diz que não há liberdade de expressão em Portugal, aqui está a prova disso. ;)

Martins Pescador disse...

Gostei do texto. A liberdade de criar deve existir, mas deve ser com responsabilidade. Como leitor, quando pesquiso um blog para ler, quero que tenha qualidade em seu conteúdo. Não quero perder tempo com aqueles que não tem responsabilidade com o conteúdo.