O 'Fenómeno Bono'

Reparem que se sabe que uma catástrofe atingiu proporções gigantes quando aparece o Bono dos U2 na TV num concerto ou a lançar um single. - é uma teoria minha e do DelGiorgio e tem uma percentagem elevada de estar certa.
Já estou como o Juvenal, o anormal (dono d' o melhor blog do universo - não recomendado a sissies) "Tenho tanta fome que o Bono deve estar a organizar um concerto para me fazer o almoço.".

Há um "aplauso pesado e pausado" que dou quando há eventos como jogos de futebol 'solidários'. Ganham todos mais num mês do que eu alguma vez conseguirei num ano inteiro, no entanto, porque são pessoas boazinhas e cheias de preocupação, intenção, reconhecimento "vamos vender um bocadinho a nossa imagem e organizar uns eventos solidários para o povo ir aplaudir e ficamos todos contentes a ajudar".
Ora, se pegassem no que essa gente toda ganha numa semaninha e dessem de boa vontade (porque às vezes não sabem o que fazer ao dinheiro - ó ó ), se calhar compensaria mais do que organizar esses eventos... (sou de Letras e não percebo muito de números mas, como diz a RC, tenho em mim que é isto).

Nunca é demais ajudar mas, se alguém com bastante poder monetário quer ajudar a combater a pobreza/ a promover a educação/ a ajudar um país em crise/ a ajudar populações vítimas de tragédias/ a ajudar na pesquisa de curas para doenças ou tratamento delas (etc.) que o faça não somente com a sua atitude altruísta e boa intenção mas com os meios que tem, com o seu empenho, com o seu contributo monetário; não só para aparecer, porque a sua imagem vende, porque vai ganhar mais fãs, porque os seus cds vão vender mais, porque é uma celebridade! 
Que façam uso disso com a prioridade de ajudar mas que ajudem também na proporção da intenção e responsabilidade sobre essa atitude.

Gosto muito daquelas notícias de pessoas que contribuem com quantias enormes mas que pedem para não ser divulgada a sua identidade. Para mim essa é a ajuda sincera, sem segundas intenções, sem cara, nem nome ... 

Toca-nos a todos e emociona-nos a perda, a desilusão, a fragilidade, a dor que vemos em imagens todos os dias mas, se olharmos bem à nossa volta, há pequeninas coisas que podemos fazer para ajudar e somos anónimos tão  cheios de intenção e empenho como um qualquer milionário. 
(Já agora, se ficaram inspirados (ou nem por isso), passem por  aqui e fiquem a saber como o podem fazer)

7 comentários:

Rosa Cueca disse...

O Bono cantar é proporcional ao desinteresse que ganho - coisa imediata.

Apoiar causas sim, ouvir o bono não, é desastre a mais para eu conseguir aguentar.

...uma nota... disse...

Gosto muito dos U2, da sua musica e da sua presença. Quanto a causas solidarias, acho que todas elas sao sempre bem vindas, e por vezes o pouco pode ajudar centenas.

Beijinhos.

NuNo disse...

O bono para mim, como muitos outros, é uma sanguessuga das desgraças e catástrofes! Já gostei muito de U2 e até ao Achtung Baby tenho em cd's originais, mas depois... já não há paciência!
Claro que podem dizer que vende sem precisar desta publicidade... claro que vende! mas isto só ajuda! reparem que a maioria ganha milhões mas não gasta 0.01€ do bolso deles limitando-se simplesmente a "ceder" a imagem...
Já chega de desgraças! não precisamos de ouvir U2!
off topic: e como se ouvir mal já não fosse mau que chegue, quem fôr fazer um teste auditivo a uma determinada loja ainda leva um cd do Marco Paulo... :(

Ana, dona do café disse...

Aiii...focus focus focus!

Deixem lá os U2, que o post não é sobre os U2! Gostos são gostos, eu pessoalmente odeio-os mas não tem nada a ver com eles,só o nome da minha teoria é que tem a ver..!
Irra que ficam apegados às palavras!

...uma nota.., para mim uma causa solidária é uma coisa, agora fantochadas mascaradas de causas solidárias com gente que só dá a cara para tirar proveito disso, tendo meios para ajudar por si? Agora eu era um jogador de futebol (era um gajo) rico e famoso como tudo e dizia: Vamos fazer um jogo para angariar dinheiro para a Madeira. Ok, muito lindo...O meu contributo então seria o jogo, a homenagem, a intenção... Sim, mas o dinheiro angariado do público é que iria para lá, do meu bolsinho nem uns milhares saíam, por quê, se até eu iria lucrar pela associação da minha imagem a uma causa nobre, social e que faria todo o sentido todas as pessoas contribuirem...? Eu não estou a dizer que é o que o Bono dos U2 faz! No entanto, não é mentira que o grupo também tem ganhos por causa disso.
Agora ajudar é sem hipocrisias. querem ajudar, ajudam...Dão o que quiserem dar, se chegar a intenção de serem pessoas boazinhas, que seja a intenção.. mas a intenção só, não chega... - e não estou somente a falar de 'tragédias' pontuais/naturais que possam ocorrer... Infelizmente basta olhar em volta para o nosso país para vermos a situação económica/ social do nosso país e vermos pobreza, fome, sem-abrigo, casas com más condições em que vivem famílias sem condições nenhumas, casais desempregados que perderam os empregos e têm uma porrada de filhos para sustentar... que boa intenção nos salva? Vamos esperar por eventos para angariar fundos ou fazer qualquer coisinha?

Nuno, agonizo contigo pelo cd do Marco Paulo :D

...uma nota... disse...

Nao gosto de dizer estas coisas, no entanto, ja ajudei o que nunca ninguem me ajudou a mim. Uma ajuda nao e so monetaria. Apoio pouco o tive na minha vida, e sempre ajudei, porque na minha falta de apoio percebi, nao faças aos outros o que nao queres que te façam a ti. Ja ajudei Atl's de crianças especiais(fazendo pinturas nas paredes, dando brinquedos e roupas), ajudei orfanatos ( roupas e comidas), ajudei escolas (bibliotecas), ja treinei caes para crianças surdas mudas, e sempre que posso ajudo sem abrigos, enchi a despensa uma vez por mes a duas familias, durante 2 anos... Tudo em troca de sorrisos.
Por exemplo, adoptei um cao, quem me ve com ele, pergunta porque o fiz, esta queimado, nao brinca, esta sempre doente. Mas eu amo-o e vou estar presente, nao vou fazer como alguem que o abandonou. E porque se gasta tanto dinheiro quando em animais, quando se pode adoptar??? Porque?
Isto que vou dizer pode soar a boca, mas eu com 32 anos afirmo, se todos os jovens tirassem um sabado, para ajudar quem realmente precisa, o mundo era de outra maneira.
Eu, nao dou dinheiro. Dou a minha presença, o meu trabalho e todo o meu amor, a quem realmente precisa.

O mundo é assim porque nos permitimos.

Gostei muito do post,
é destes assuntos que é bom falar.

Ana, dona do café disse...

e eu escrevi aqui um comentário e ele nem apareceu...é só para verem a minha maré de azar que agora é extensível ao blog!

Estava eu a dizer que fazias-me ficar contente dás-me alento,porque sou daquelas pessoas que acredita que ainda existem pessoas realmente boas. Porque às vezes até um sorriso nos dá anos de vida...
beijinho

Branca de Neve disse...

Tens toda a razão! Acho mesmo que metade das pessoas que ajudam só o fazem para aparecer.
E depois irrita-me quando as pessoas (no geral) dizem "ai, coitadinhos dos desgraçados, pobrezinhos, o que vai ser deles" se for preciso,ao jantar, enquanto estão a ver as notícias mas depois não fazem nada. Enfim...