my trust v.1

Photobucket

até que ponto me deixo cair sabendo que és tu quem me vai agarrar?
até que ponto és a minha confiança quando estou na corda bamba?
até que ponto me deixo guiares-me de olhos fechados?
até que ponto sei que se eu saltar tu me irás seguir?
até que ponto o que me dizes e juras é verdadeiro?
até que ponto confias em mim?
até que ponto confio em ti?
até que ponto és meu?

7 comentários:

hole in my vein disse...

penso que a ultima questão é desnecessária visto que as outras respondem a essa! Basta a sinceridade! :) mas isso sou eu que sou um sonhador!

Ana, dona do café disse...

:)

NickyBlue disse...

Os carros passam, as estações mudam, as folhas caiem, a água evapora, mas ele permanece ali... Naquela curva... À espera... Que ela passe...

Anónimo disse...

ola ana dona do café... li este teu texto e nao resisti em deixar aqui algo que li no site do fernando alvim... a meu entender enquadra-se bem neste contexto (e Caraças-porque sou do norte- adoro este homem). ora aqui vai:

"O amote deveria ser escrito assim"

-"Não percebo porque é que o amo-te se escreve desta forma: amo-te, quando deveria ser desta: amote. O amo-te não deveria ter hífen ou tracinho como se costuma dizer. O amote que eu falo, este, não deveria ter espaço para que nenhuma letra respirasse, para que ficassem ali as letras apertadinhas de forma a não caber mais nenhuma porque a verdade é que quando se ama alguém não cabe mais ninguém ali, porque não há espaço, porque as letras estão literalmente sufocadas por essa palavra que se deveria escrever apenas e só assim: Amote."


pessoalmente acho delicioso. beijinho da anita (a da mesinha do canto)

Moon_T disse...

nunca faças a pergunta se nao queres a resposta.

há delas (perguntas) que, se as fazemos, já estão respondidas. outras que nao sabemos até que ponto queremos a verdade, ou mesmo se a queremos de todo.
porque nao saborear o momento que temos em vez de questiona-lo?
facto é que compreendo na integra este teu post, daí comentar.
obrigado pela partilha.

Ana, dona do café disse...

so right... :) *

Balhau disse...

até que ponto me deixo cair sabendo que P: és tu quem me vai agarrar?
R: Até à ponta dos dedos, a partir daí cais de certeza..
P: até que ponto és a minha confiança
quando estou na corda bamba?
R: Em primeiro lugar depende da corda se for daquelas cheias de cores muito femininas com estilo morangos com açucar então o melhor mesmo é não confiares. Se a corda for classica de marinheiro então podes confiar.
P: até que ponto me deixo guiares-me de olhos fechados?
R: Se o carro tiver gps e um sistema inteligente de reconhecimento de obstaculos entao podes fechar os olhos caso contrário é melhor pores o cinto e dormir as horas devidas.
P: até que ponto sei que se eu saltar tu me irás seguir?
R: Se saltares para cima de uma cama nua besuntada com oleo ele é capaz de te seguir. Se por outro lado decides mandar-te de uma ponte abaixo o melhor é não olhares para trás para não te desiludires.
P: até que ponto o que me dizes e juras é verdadeiro?
R: Se jura é porque é verdadeiro, se não o é como é que ainda falas com pessoas desta natureza?
P: até que ponto confias em mim?
R: Ele já te disse que confiava?
P: até que ponto confio em ti?
R: Confias? Julgava-te mais madura
P: até que ponto és meu?
R: A expressão "ninguém é de ninguém" diz-te alguma coisa?


Adorei o gif animado...
;)