E se...

Se soubesses que só tinhas 24 horas de vida, o que farias nessas 24h?

12 comentários:

Gonçalo Mira disse...

Escrevia tudo o que me viesse à cabeça, já que não teria tempo de ler todos os livros que gostava antens de morrer. Parabéns pelo blog.

Visita o meu quando tiveres um tempinho www.vazioquotidiano.blogspot.com

Beijo*

Miss I disse...

Provavelmente nada de especial porque iam ser 24h um pouco angustiantes. Mas era capaz de passar o dia a fazer coisas que gosto, andar de bicicleta, passear na praia, comer After8 e dizer a toda a gente que é importante para mim o que sinto por elas.

Andre Tenreiro disse...

24h de vida? Não morria.. tirava a pilha do meu relogio.

Del Giorgio disse...

24h dava + q tempo p ir até aveiro/coimbra, yadda yadda yadda... e dps adormecia.
dizem q morrer durante o sono é a morte + tranquila q há.
mas quem diz, tá vivo, por isso...

Carriço disse...

Bem... esta é daquelas questões de resposta muito dificil. Muito mesmo!

Gostei da do André, sugerindo a paragen do relógio. :)

Saudações

Carriço disse...

*paragem, como é óbvio!
:P

Apenas, o cidadão disse...

24 horas.
1º não dizia a ninguém
2º já poderia fazer aquelas coisas, para as quais ainda não tenha reunido coragem.

Gosto de pensar que teria a mesma atitude da personagem principal do filme Big Fish, de Tim Burton.

Andreia disse...

Eu faria questão de escrever uma carta de despedida a todas as pessoas que adoro e fazem parte da minha vida. Pedir desculpa pelos erros, justificar as emoções e partilhar os últimos sorrisos.
Trazer para perto mesmo quem estivesse longe e fechar os olhos com a certeza que alguém, um dia, ia sentir a minha falta como eu sentiria ao escrever as últimas palavras.
Estar com quem amo, fazer as últimas coisas simples da vida que tanto me dão prazer e despedir-me com um sorriso. Como não podia deixar de ser...

Rukinha disse...

Oh Gata, nem sabes o k m apeteceu fzr-t agr =P oh pah eu nem sei k fazia... kd isso akontecer digo.t kk koisa!

Wakewinha disse...

Eu gravava uma mensagem geral para todas as pessoas que me são próximas, escrevia uma carta aberta a todos os jornais (regionais e nacionais) e denunciava os factos podres desta sociedade e tudo aquilo com que sou obrigada a coexistir e me dá náuseas, e depois fazia uma grande loucura, daquelas coisas que sempre tive vontade de fazer, mas nunca fiz com medo das consequências... Honestamente, iam ser 24h bem aproveitadas... ;)

Voz Oblíqua vs. •▪•●Brainstorming●•▪•

Marta disse...

Entrava em pânico e chorava o resto do tempo todo sem saber o que fazer!! (não sou dramática, sou realista)

Depois, se conseguisse, acho que escrevia algo para as pessoas mais importantes da minha vida a dizer-lhe o quanto gosto delas e como são/foram importantes para mim.
E se ainda desse tempo tentava fazer uma coisa ou outra que tivessem ficado pendentes - por fazer/por dizer

puto disse...

matava-me, sempre era uma morte mais digna do k morrer à custa dum bixaroco microscópico qualquer, ou à custa de qualquer defeito do meu corpo...

mas a paragem do relogio tambem me serve perfeitamente =P