Bolinhas de sabão..


Já viram o que eu estive a fazer no fim de semana?
Adoro adoro adoro! :)

6 comentários:

Anónimo disse...

A vida é um teatro.
Somos todos actores e actrizes nesta vida...
Encenamos os nossos momentos,
ensaiamos os nossos sonhos,
e estrelamos no palco,
às vezes com êxito,
mas às vezes com total vexame...
Somos as principais estrelas desse teatro,
temos o nosso público a aclamar por nós,
sentimos a obrigação de agradar a todos
que nos olham com atenção
e tentam copiar-nos.
Sejamos então os melhores!
Que tenhamos o melhor talento.
Assim, se alguém tiver que nos copiar
que seja nos pontos positivos.
Não sejamos derrotados.
Devemos pensar naqueles que, estrelas ou não,
ficam a observar-nos e idolatrar-nos...
A vida é um teatro,
onde, eu e tu dançamos e apresentamos
a melhor peça.
Um teatro onde não há "reprises",
cada dia é um acto diferente,
cada acto uma conclusão diferente,
em cada conclusão:
uma lição para aprender e guardar!
Sejamos os melhores nesse teatro,
para que todos os que nos olham com atenção,
fiquem maravilhados com a nossa actuação.
Sejamos os melhores,
sejamos sorridentes,
sejamos mais amor a cada acto...
Estamos todos no palco.
Façamos então o melhor papel nessa peça
que é o de viver bem a cada momento,
para cumprirmos a tarefa da nossa própria VIDA!

Um texto de gaveta.... Para a Ana.
Dsculpa!!
**************************

Ana, dona do café disse...

O PAPEL DA TUA VIDA
(25.06.01)

(Dedicado a todos aqueles que amam e sonham acordados)

Hoje vou-te falar da vida. Da vida que levamos desde que nascemos... Da vida que corre tão depressa, ou tanto devagar... Da vida que vivemos e que partilhamos com todos e tudo o que nos rodeia.
Quando acordas de um sonho e te parece que ainda continuas a sonhar, consegues ver o quão bela é a vida e o quanto a nossa imaginação preza as coisas boas da vida, os momentos preciosos, a infância, o amor, noites estreladas, borboletas a voar, o riso de uma criança, um sorriso da pessoa de quem gostamos...
Nós somos como folhas de papel ao vento...nunca sabemos para onde vamos, mas vivemos sempre, sem destino, ultrapassando o bom e mau, sempre esvoaçando livremente.
Às vezes, as outras pessoas magoam-nos e nós ficamos tristes e a nossa folha de papel plana baixinho, quase tocando o chão (mas com medo de tocar), mas basta ver o lado bom das situações para logo a nossa folha desatar a voar, livre e rapidamente, com alegria e com a nossa vontade de sonhar.
Temos também as nossas ambições, os nossos sonhos, mas também os nossos obstáculos, os nossos medos. Muitas vezes são criados por nós próprios, como defesas, mas realmente não passam disso; medos como nevoeiros cerrados, que nos conduzem à insegurança, ao perigo e à confusão.
Eu refugio-me nas palavras que escrevo, assim como os pintores se entregam na pintura que criam. Porque um texto é como uma pintura: a paleta de cores tem as nossas ideias, a tela é a folha em que escrevemos e o pintor somos nós, que criamos, organizamos e damos vida às nossas ideias, assim como os traços e as pinceladas numa pintura.
Nós criamos o que pode ser criado, nós imaginamos o que somos e o que seremos, na nossa vida, que não permite ensaios, representamos o nosso papel, o papel da eternidade... o papel da nossa entrega.
Por isso, entrega-te e dá o teu melhor, porque este é o papel da tua vida...!



Ana NC Mendes
_________________________
um texto meu de qd eu era mais pequenita... lol 2001... olé!:p
tás perdoado Duarte, mas não tornas a repetir!

Anónimo disse...

...O mundo pula e avança...

_Snakebite_

Andreia disse...

Reconheço o meu elástico laranja nesse pulso ihihiihih.
Ah bolinhas de sabão...(suspiro e saudosismo)

Wakewinha disse...

As bolas de sabão como os impulsos: vão e não mais voltam! Por vezes rebentam nas alturas menos próprias... =(

Del Giorgio disse...

"can anybody fly this thing?
before my head explodes
or my head starts to ring

we've been living life inside a bubble

confidence in you
is confidence in me
is confidence in high speed

high speed you on..."

coldplay - high speed (para contrastar com o slowing down do comentário + atrás)

+ uma letra duma música? + palavras que não são "minhas"?
Vocês usam a poesia para mostrar. Eu vejo-a, sinto-a mas o que é meu, é muito meu e fica cá tudo comigo.

(nota: não gosto de café e muito menos de tar em cafés cheios de gente porque a maior parte fuma e se chamam a isso 1 bom ambiente, risquem-me da lista)

Tanta merda por causa dumas estúpidas bolas de sabão...