QUARTO no PORTO ou GAIA ...PROCURA-SE!


(sim, aqui no café agora também tenho "classificados")

Estou à procura de um quarto simpático em Gaia (ou Porto) porque vou iniciar o meu estágio em Março(com duração de cerca de três meses).
Sou uma miúda meia doida, muito desarrumada (só no meu quarto, não noutras divisões, não espalho o terror! sou apologista de arrumações semanais, por isso o quarto à 2ª começa impecável, à sexta está o caos :P), gosto de aspirar e limpar o pó, faço massas e sobremesas fantásticas, quando não estou com a neura sou um ser incrivelmente hilariante.
Por isso, se tens um quartinho porreiro, ou se conheces alguém que tenha um quartinho vago numa casa de estudantes ou semelhante, diz-me qualquer coisa, por favor! (Clica aqui para me enviares um email).

Obrigada Obrigada Obrigada!

Ps. A empresa fica na Rua General Torres, perto da Câmara de Gaia...quanto mais pertinho, melhor mas, mesmo assim, se souberem de alguma coisa digam...

(Agradeço ao Diogo Cardoso que foi um querido em enviar-me um email com feedback por ter visto o anúncio ali na minha caixinha de paleio, como dizem os brasileiros: "Valeu, cara!")

14 comentários:

tiovivi disse...

vais pa debaixo da ponte da arrabida ou a d. luis

Del Giorgio disse...

pontes é o que não falta por aqui. tens a ponte de d. maria que até está abandonada, deves encontrar 1 canto na boa. se quiseres algo + moderno, podes optar entre a ponte do freixo ou a do infante. minimalistas e acolhedoras. se algum dia cairem, és das primeiras a saber.

boleia disse...

se souber dou o toque ;)

Moondevil disse...

Não te posso facultar quarto já que não moro no Porto, mas já agora boa sorte para o estágio.

hole in my vein disse...

vens para a invicta?!?!? sim senhor!! eheh... vê o mail... :)

Joana Santos (STRITH) disse...

vens para perto da tua maninha =) se souber de algo digo-te

SG disse...

A retórica dos defensores do SIM no próximo referendo sobre o aborto mostra bem a que chegou esta discussão e, afinal de contas, qual era o objectivo do referendo: uma "vitória civilizacional da esquerda contra um atraso obtuso e retrógrado". Este é o objectivo do referendo.

Nem a demonstração de que os partidários do NÃO estão apenas preocupados com o estabelecimento de uma via verde para o aborto os faz demover dessa cruzada clubista.

Ainda não vi um partidário do sim assegurar-me que serão criadas condições para apoiar uma mulher em dificuldades dando-lhe o que ela precisa ANTES de abortar (seja dinheiro, emprego, apoio social, psicológico, sanitário, familiar).

Ainda não vi os partidários do SIM defenderem que a lei deve integrar, além do fim da pena de prisão para as mulheres que abortam, uma pena pesada para os que fazem abortos fora das situações legais, uma política de distribuição de contracepção mais eficaz, um plano de educação sexual estruturado e destinado a uma boa saúde física e mental.

Se é verdade que uma mulher só aborta em último caso (e eu acredito!), onde está a defesa dos mecanismos que levem a que o aborto seja o menor possível.

Não me venham com histórias! O que vocês querem é aborto livre, é afrontar os valores da família e da vida em nome de guerras e tricas políticas.

No Domingo à noite, os Louçãs, as Carmelindas e as Odetes vão vangloriar-se de uma vitória como se de uma vitória de futebol se tratasse. A reboque, os Sócrates aproveitam para capitalizar “vitórias eleitorais” e, atrás desses, todo um cortejo de Catarinas, Bárbaras, Gouchas, Hermans e outros gatos bem-pensantes do nosso palco mediático alegram-se com mais este sinal de desorientação nacional. Mais uma barreira derrubada, a caminho da liberdade, rumo à anarquia! Vão ganhar, levem lá a bicicleta, mas o nosso país não vai ficar melhor.

Daqui a uns anos, depois de darem a volta aos "assuntos tabu" que tanto se esforçam por derrubar (eutanásia, adopção por homossexuais, etc.), quando lhes faltarem assuntos, estarão a pedir o aborto livre para as 15,18,20, 25 ou mais semanas. São apenas pretextos para lutas políticas.

As mulheres que vão continuar a engravidar sem as melhores condições vão agora estar desprotegidas, completamente à mercê dos companheiros que não querem assumir a criança, dos patrões sem escrúpulos que as obrigam a abortar para manterem o seu posto de trabalho.

Que fizeram os adeptos do sim (já que dizem que também são contra o aborto), durante este anos, desde o último referendo, para que o aborto diminua? Eu respondo: nada!

Em contrapartida, muitos partidários do Não substituíram-se ao Estado na criação de condições para que as mulheres em dificuldades pudessem ter as suas crianças, através de apoio em lares, formação profissional, emprego, creches e até – como recurso extremo – a adopção. Perguntem-lhes agora (a essas mulheres) que balanço fazem dessa sua decisão de não abortar. Quantas estarão arrependidas? Quantas prefeririam ter abortado?

É um problema de consciência, mas para isso é preciso ter uma.

Mas, claro, é sempre mais fácil "cortar o mal pela raiz", não é?

Ana, dona do café disse...

Sim, SG porque acharás que a consciência de uma mulher abortar será leve? simples como um método tipo pílula do dia seguinte? Onde está a tua consciência em tais declarações?

E se Domingo houver algum vangloriar por uma vitória, digo-te que a vitória será não por aplaudir as mulheres que abortam mas sim por aplaudir um país que, ao alterar a actual lei, está a demonstrar que se preocupa realmente com as condições em que muitas mulheres fazem abortos clandestinos por este país fora.

Será que ainda não deu para perceber que a pergunta do referendo não é "concorda com o aborto? Sim ou não?", hello?

Ou também tens aquele bonito argumento "os números de abortos irá aumentar, tal como aumentou noutros países que despenalizaram o aborto"; francamente... acho que qualquer pessoa consegue perceber que somente foram contabilizados abortos que, sem autorização e em instituições clandestinas foram efectuados, entre outros pontos que realçaste e me fizeram franzir a testa...

Eu não me vou estar aqui a alongar nem a falar do assunto, se quisesse teria feito um post para falar sobre isto, como não o fiz, pretendo somente dizer com isto que só espero que domingo simplesmente VOTEM. Sim ou não, votem. É vosso dever cívico e este é um assunto do interesse de todos.
Não estou para aqui para discutir politiquices, cada um tem a sua consciência sobre o assunto, graças a deus todos nós nascemos com uma massa encefálica para trabalhar a nossa formação de opinião da forma mais inteligente que sabemos com o passar do tempo, uns melhor, outros talvez não..

Mas não me vou alongar mais, senão iria parecer aquela empresa, como é mesmo o nome? ah, a igreja! que anda por aí entusiasta "em campanha" quase de porta a porta sobre o assunto (depois da questão da sua oposição ao preservativo, não pensavam ter que activar os radares tão cedo, tsc tsc) vá-se lá saber se domingo não irá haver também arraial na paróquia SG? Eu não irei com certeza.

... Domingo vão votar e, já agora, beijos e bom fim de semana
(o meu vai ser passado a estudar pra frequência de segunda-feira, que boooom! (estou a brincar).

Anónimo disse...

" a destruição é, em si, um acto de criação"
Miguel Bakunine


Estudante!


Está na hora da grande festa destrutiva.
Nem mais um minuto de aulas de substituição!
Está na hora da revolta.
Temos de estar preparados para dar resposta à cambada instalada no poder.
Está na hora da grande festa da destruição.
Marquemos o 3º periodo escolar para uma orgia destrutiva e com uma posição firme contra a puta da ministra e os dois chulos conhecidos como secretários de estado.
Uma primeira semana de ruptura.
Um período de negação e recusa às ordens prepotentes da canalha que se instalou na 24 de julho e na 5 de outubro.
Fogueiras nas escolas.
Recusa de qualquer aula onde não haja o professor da disciplina prevista no horário.
Companheiros e companheiras saiam do redil. ousem!
Não aceitem nem mais uma aula de substituição!
Temos direito à indignação!
Exijam que sejam tratados como homens e mulheres livres.
A substituição é uma palhaçada!
Se há uma falta dum docente não podemos aceitar que outro ocupe o seu lugar e sejamos empurrados como carneiros para dentro de uma sala.
E tu universitário...
Tem a coragem de te solidarizar connosco.
Vem à luta!
Não fiques à espera que nós acabemos o 12º ano para iniciares o teu ritualzinho nazi e patético a que chamas praxe.
Vem à luta!
Falta pouco para que a cambada governativa estenda as suas medidas às universidades.
Vem à luta!
Despe a merda do traje académico e veste-te como gente!
Vem, tu também, incendiar o ministério da educação.
Indigna-te. A tradição académica não é o traje negro nem a praxe. É a revolta.
E tu professor, desobedece! Ousa desobedecer!
Desobedece à ministra e à merda dos sindicatos reformistas que te seduzem com greves e manifestações controladas.
A greve selvagem é uma festa!
Olha para a miséria do teu quotidiano e, revolta-te!
Chegou a hora da grande festa da liberdade.

Não queremos palavras de ordem.
Não queremos manifestações autorizadas pelos bufos dos governos civis.
Queremos mesmo a revolta generalizada.
Queremos a cabeça da puta da ministra (se possível) a escorrer sangue. E muito.
Queremos acabar com esta orgia dos poderosos.
Queremos outra orgia:
A da liberdade.
A de sermos felizes.
Não queremos as escolas redil
Não queremos as escolas canil
Não queremos as escolas prisão
Não queremos as escolas depósito de adolescentes como querem os governantes e as patéticas associações de pais controladas e manipuladas pelos partidos políticos.

Queremos, sim, uma escola onde se aprenda em liberdade.

Depois das férias da páscoa abriremos - todos juntos - a época da caça aos governantes e à cabra do ministério que de educação não conhece uma letra do tamanho dum camião TIR.
Não aceites o controle dos tontos dos partidos - eles vão tentar tirar dividendos da tua revolta.

amigos
estamos em guerra

passa a mensagem, como poderes, para todas as escolas do país. Esta nossa guerra terá várias batalhas. Temos de ser pacientes e espontâneos em cada combate.
colabora
da páscoa ao verão não podemos baixar os braços. temos de os combater e derrotar.

Ana, dona do café disse...

isto agora virou outodoor politico e de rebelião? tenham dó... pq nao deixam cada um pensar por si? mandem em vcs q ja fazem muito.
se este "spam" continuar vai começar a haver mais controlo de comentários. criem um blog, andem nus na rua, subam ao teleferico no parque das naçoes, mas...desamparem-me a loja!

brun0.m@rkez disse...

o meu colega de quarto foi-se...
se quiseres dividir quarto...
lol
Costa Cabral

P.S. sou comprometido :P

fica bem

Ana, dona do café disse...

lool obrigada pela oferta mas ando a rondar :P faziamos noites loucas de swing LOOL tou a gozar.
beijinho bruno * :P

Wakewinha disse...

Eu acho que tu devias tentar com o Brunex, mas vocês é que sabem!!! Até porque eu adoro os 2, e se tu fazes boas sobremesas e massas, eu ia passar o tempo em vossa casa, e gostava de me sentir bem!!! =P

Beijinhos*

Ana, dona do café disse...

lol..se fosse colega de casa, ponderava seriamente mas de quarto é complicado, sou gaja manienta lool :p
e tal e pronto... beijinhos