Ai ai ai


Desculpem estar há tanto tempo sem vir cá (cá..escrever!)...mas o café encontra-se temporariamente fechado, para balanço, para obras, para qualquer coisa assim.

Pus um cartaz giríssimo na porta a avisar mas com o temporal, ventos fortes e chuvas torrenciais que têm ocorrido, adivinhem? O cartaz voou... :P e vocês a pensarem que me tinha esquecido de vocês! tsc tsc :)
[Falando agora mais a sério. A vossa menina tem andado super ocupada com mil e uma coisinhas para fazer; afinal sempre é verdade o que dizem do último ano da universidade...é o drama, o horror, o stress... e melhor que isso, aquele "pequenino pesadelo" chamado estágio. Dá para imaginarem como eu ando? Conseguiram? Muito bem.(Ok, é isso mesmo mas ao quadrado)]

Para me ajudarem neste momento de emoção, ansiedade, deslumbramento, stress e muita hiperactividade, contem-me...

Como foi a vossa primeira entrevista de emprego?
Como foi o vosso primeiro emprego? (primeiro dia, primeiros tempos...contem..)


Vá, animem-me, surpreendam-me, aterrorizem-me... :)

12 comentários:

pedromenicio disse...

fui violado!

Ana, dona do café disse...

Oh pedro nao sejas assim. ácaros a violarem? :p
beijo

inês disse...

Que este ano te corra optimamente bem então :)

Trabalhei uma única vez no escritorio do meu irmão durante uns meses. No primeiro dia acabei a jogar Age of Empires em rede com o meu irmão...portanto, acho que é bom não te fiares pela minha opinião eheh.

Um beijinho enorme...tenho de voltar a sentir algum espirito para voltar à blogosfera :)

P.S.: ainda bem que voltas, mesmo que espaçadamente!

Wakewinha disse...

Ora bem, o que te vou contar não se passou no primeiríssimo dia de trabalho da minha vida, mas no primeiro dia de trabalho num local sério, em que se lida com gente grande...

Tinha sido convidada para fazer parte dos quadros da administração daquela empresa de gestão de empreendimentos comerciais, e no meu primeiro dia lá, poucos dias depois de ter entrado nos fabulosos 20 anos, lá me aprontei eu com os meus melhores trapinhos: calcinha preta vincada (na altura usavam-se largas e com dobras cosidas em baixo), um topzinho (com tanto de sexy, como de formal) e um belo casaco vermelho-vivo! De arrasar...

Tinha imenso trabalho, muitas coisas a aprender, estava afogada de coisas... Sem tempo para almoçar, pedi à secretária para me trazer uma sopa para cima depois do seu almoço. Acontece que lhe surgiu um problema qualquer, e depois de me ter comprado a sopa, ligou-me para eu vir cá abaixo buscá-la, uma vez que ela estava com pressa para ir a casa. No caminho cruzei-me com o meu director, que me pediu que demorasse pouco tempo, pois queria ir almoçar, e não podia deixar o escritório sozinho.

Para vir cá abaixo eu tinha 74 degraus íngremes a descer, e lá vinha eu pomposa, toda janota! O salto de uma bota prendeu-se na tal bainha das calças, e eu “estatelei-me” l-i-t-e-r-a-l-m-e-n-t-e por ali abaixo!!! O barulho que fiz foi de tal modo estrondoso, que o meu director veio à porta chamar por mim e perguntar se eu estava bem. Com uma voz trémula e sem convicção respondi-lhe que “sim”, e que me demoraria pouco! O pânico, o horror e o stress foi o que se passou a seguir: percebi que tinha partido o salto da bota, descosido as calças (precisamente no rabo) e rasgado uma manga do casaco! Tirei o casaco (de lembrar que o topzinho sexy não tinha qualquer pano nas costas), amarrei-o à cintura e fui à procura do salto da bota! Depois, a mancar, fui buscar a minha sopa!

Escusado será descrever a cara de espanto da secretária quando me viu! Entretanto subi, casaquinho amarrado à cintura, costas nuas e manca, passo junto do meu director que, em gesto de simpatia, diz que eu posso ligar o ar-condicionado, que realmente estava uma tarde muito quente!!!

Em palavras não consigo explicar melhor o sarcasmo que envolveu toda esta situação, mas posso assegurar que deve ter sido um dos momentos mais hilariantes da minha vida!

Ah, depois de tudo isto estive a fazer horas extra…até às 21h… só para poder ser a última a sair do escritório. Mas claro que não pude sair sem antes ser alvo do olhar jocoso do segurança que veio fechar a porta!!!

Ainda te achas desastrada e azarenta? =P

Rain disse...

Este último comentário parece saído de uma série de comédia! Obrigado por partilhares e espero que nunca mais te tenha acontecido nada do género! :)

Ana: coragem! Estamos quase no Natal... época de esperança e tal! He he

Eu acabei o curso há 2 anos, mas fiquei pela Universidade portanto não tenho nada de especial a contar, deixam-nos andar de calças de ganga e à vontade. A única cena chata é que quando chove muito o parque automóvel inunda e tenho que fazer o meu carro de barco!

Jmn disse...

eu nem é tanto pelo estágio, é mesmo por dia 2 de fevereiro estar a acabar o curso...doi!muito!
as responsabilidades, vou entrar para o mercado de trabalho!
haaaaaaaaaaaaaa
bjufas

Del Giorgio disse...

já trabalho desde 1997 e ainda n juntei dinheiro p comprar uns sapatos. acho q o ultimo par q usei tinha eu uns 14/15 anos. resumindo, sempre trabalhei de sapatilhas, tshirts por cima de sweats, ganga e como saio à noite, é como saio de manhã p trabalhar. e também já trabalhei de cabelo comprido e bem comprido e n deixava de fazer o q fazia. nem pelas escadas abaixo caí ;)
mas pronto, este mundo avança mas as fachadas mantêm-se. na rua se n andas à boazona, n és boazona (p mim és!), no trabalho se n andas à trabalhadora, n és trabalhadora (cmg trabalhas bem!) e agora tu é q sabes o q queres escolher: ter uma suposta boa vida pq te vestes bem e fazes o q te mandam ou uma outra suposta boa vida pq te vestes como queres, fazes o q queres, ganhas menos, talvez muito menos, mas és tu. se te pagarem o suficiente p n seres tu mesma... aproveita. eu tou bem assim: pobre mas sossegado. 1 bem haja.
ps: gosto muito de a ver trabalhar :)

Ana, dona do café disse...

Mentes perversas que podem ter feito juízos errados do último comment: don't!
o Del referia-se à maluqueira e infantilidade da menina, que a fazem ter ideias demasiado criativas, etc etc...
Quanto ao trabalhar bem com ele = entendermo-nos bem...
Sim, seus feios, porcos e maus..eu bem sei que essas vossas cabecinhas pensadoras levam tudo para o pole dancing! Lol

Beijo

ps. Mudando de assunto, gozem comigo mas, por acaso, viram aquela notícia no jornal da noite sobre Urban Striptease Aerobics? Critiquem-me mas eu achei aquilo giríssimo! :)

Del Giorgio disse...

ainda agora ouvi o o jorge coroado dizer q qdo começou a trabalhar tinha 14 anos e ia ver o belenenses a coimbra e gastava 12$50 já com viagem e bilhete pró jogo. achei por bem partilhar esta rica informação com os restantes. e o caral... ai aqui n posso soltar a língua :)

Tridecoder disse...

Olá!

Felizmente que nunca tive de ser sujeito a uma entrevista de emprego, pois fui pescado directamente da turma para o consultório, o que quer dizer que não tens de ser, forçosamente, sujeita a uma entrevista de emprego.

O primeiro dia de trabalho, esse sim, tive-o, e apesar de não ter sido difícil, foi constrangedor. Primeiro, porque não estava "ambientado" às práticas da empresa; depois, porque nunca sabia o que fazer a seguir, quando acabava uma tarefa, o que me levou a desenvolver uma data de tarefas talvez irrelevantes... alguma havia de ser a esperada; e porque não sabia bem o que fazer, como fazer, como lidar com situações não esperadas, etc. Mas - regra do bom-senso - o "chefe" saberá que um "recém-contratado" necessita de um tempo de experiência para encarrilar nas boas práticas da empresa. Aqui, é importante clarificares bem o que é esperado de ti e as dúvidas, quando as há, têm de ser esclarecidas... antes isso do que fazer uma data de asneiras sem necessidade que acabam por ser uma perda de tempo e deixam um sabor agro a frustração no teu little heart.

Mas não posso deixar de estar de acordo com o del giorgio, no sentido de, em entrevista ou trabalho, seres o que és, sem compensações nem desvalorizações, se não, cais na falácia de arranjares um emprego em que tens de manter essa mesma máscara de ti. Se o empregador te contratar por aquilo que és como técnica e pessoa, muito mais facilmente desenvolves as tuas tarefas e te realizas. Como técnico de recrutamento e selecção, entre outras tarefas, valorizo, em entrevista, principalmente a adequação do carácter da pessoa em detrimento de suas médias académicas e do CV (claro que a pessoa terá de ter, no mínimo, o exigido para a função pretendida). O raciocínio é simples, uma pessoa profissionalmente interessante e interessada, facilmente se adpata e desenvolve competências para a função em causa, coisa que dificilmente se observará na situação inversa. Assim o concepciono!

Portanto, respira fundo: queres ser desejada/contratada pelo que és e não pelo que deverias/poderias/querias/idealizas/etc. ser! O empregador contrata-te porque precisa de ti e não por caridade ou solidariedade, o que quer dizer que és tão importante para ele como ele para ti.

Abraços encorajadores!

Joana Santos (STRITH) disse...

O meu primeiro trabalho nao sei, ainda sou estudante mas o meu primeiro exame este semestre... foi um exame oral que me correu pessimamente mal... abrangia 3 cadeiras diferentes (direitos fundamentais, direito administrativo e direito da uniao europeia)e deu-me um BRANCO, fiquei sem saber o que dizer... passei com 10 (DEZ) =( mto triste que fiquei... vale 10 creditos esta cadeira... enfim melhores dias se esperam...

NuNo disse...

dos empregos q tive / tenho... n tive entrevista! foi nomeação directa (até parece o apito dourado). dos 2 q tentei ter, e q fui a entrevistas... tive as entrevistas mas n o emprego! já alguém vos disse q tinham requisitos a + para o emprego a q se estavam a candidatar??? pois...
qt aos q tive / tenho, 1 foi c o meu pai q por acaso era o patrão (cunha)e o outro q é o hotel onde estou, foi por intermédio de um amigo e basicamente só me perguntaram se era bom de lingua :D