...strangers

-És linda...
- Sou normal, absurdamente normal...Igual a tantas outras...
-Não! Tu és linda.
- Na rua ao passar por ti sou igual a cinquenta mil raparigas para quem ninguém demora tempo a pousar o olhar. À noite sou igual a cinquenta mil raparigas que se escondem entre as luzes e a música que ecoa, sobe pelas paredes e faz estremecer o chão...
Sou transparente, igual a tanta gente translúcida...
-Frase feita. Talvez por ti?
- Frase feita?
-Talvez por ti?
- Talvez por mim.

Ohh ...
Can anybody see the light,
Where the morn meets the dew,
And the tide rises,
Did you realise no one can see inside your view,
Did you realise forwhy this sight belongs to you.
portishead - strangers

8 comentários:

Wakewinha disse...

Nós somos aquilo que os olhos das pessoas que nos vêem querem de nós! Se nos olham com brilho, nós brilhamos. Se nos olham com desprezo, nós ofuscamos! Claro que importa o que vem do nosso interior, mas importa ainda mais o que somos no interior dos outros... ;)

Beijinho grande, minha linda*

Barão Von Sacher-Masoch disse...

Porque te vejo na multidão anónima? Porque não te desfazes nos outros sem deixar rasto, como a espuma no mar? O que é que vejo quando olho para ti, mesmo quando não estás? És o que quero que sejas - e vejo isso - uma vertigem entre o que És e o que És realmente.

A forma e o conteúdo da vida, tal como a percebemos, raramente é real, passa-se na nossa vida fantasmática: adoro os teus olhos, que me olham, envergonhados, por cima da cadeira, sob a tua pele alvíssima descoberta - enroscando-se como uma "gata friorenta" - bem próxima da lareira.

O que se passa na tua cabeça? Vês o que vejo? És realmente o que quero que sejas?

Estou confuso... não consigo ver-te anónima no meio dos outros... não quero... és realmente diferente, e são (mais uma vez) os pormenores que o atestam... ninguém olha como tu. As tuas mãos são, de facto, as mais belas entre todas as mãos da multidão. O calor que emanas é o único que sinto, quando passeio e te vislumbro ao longe, perdida nas tuas próprias fantasias... como eu.
ÉS MUITO IGUAL A TODOS OS OUTROS COM QUEM ME CRUZO, MAS SÓ TU, ESTRANHA, ME FAZES SENTIR O QUE SINTO... ESSA É A TUA IDENTIDADE PARA MIM...

Ana, dona do café disse...

wakewinha :) true *

barão, que inspiração...uma vénia à tua prosa, deliciosa. *

alfinete de peito disse...

Se toda a gente gostasse do mesmo estavamos tramados...o prazer é descobrir a beleza da pessoa, senão olharmos e vermos, por vezes perdemos grandes oportunidades de vida.

Temos dito.

brun0.m@rkez disse...

chamar-te transparente seria chamar-me obliterado, cego...

no meio duma multidão tornas-te o único ser que respira, todos os outros são invisiveis!!

Del Giorgio disse...

Gostas de dar uma de poetisa ou tens a mania que és Platão mas o que corre mesmo na veia é o Marketting. Esse texto seria perfeito para uma PUB ao meu «Por Mim... », repara só nas últimas palavras.
Um cenário escuro, pouco iluminado por uma luz branca, talvez da lua ou dum planeta qualquer recentemente descoberto com ajuda monetária do Bill Gates, esse diálogo e na passagem do "...por mim"... Aquanote -Nowhere (Crazy P Hotwave Mix).
Que show! Até dava gosto ver a PUB na TVI.

NuNo disse...

como disse o del (meu sócio), A parte + interessante é o som do "por mim"! prepara-te q no sábado começas a trabalhar como RP
:) só acrescentava À OST a "Blue Six - Pure [Mig's Petalpusher rmx)"

Hrrada disse...

Lovelly gémea :D

"Did you realise no one can see inside your view" ;)

Bisou*