Desafios?¿

Acabei de chegar a casa (fui fazer análises de rotina)... e antes de me preparar para estudar direito das obrigações resolvi escrever aqui um pouquinho sobre um assunto que me anda a dar que pensar... o Voluntariado!
Nós passamos metade dos nossos dias a dizer mal da vida só porque algo não corre do nosso agrado e aí ficamos tristes, e sentimo-nos as pessoas mais infelizes do Mundo...
Para que isso me aconteça menos vezes pensei em fazer voluntariado. Não é que já não tenha feito durante uns tempos em lares ao serviço da JH (juventude hospitaleira) mas últimamente tenho cada vez mais vontade de dar um pouco da minha boa disposição e alegria de viver aqueles que mais precisam e estou aqui um para vos chamar a refletir um pouco comigo sobre este assunto!
A minha colega de casa do Porto está ao serviço da acreditar a animar crianças com cancro no Hospital de São João e como elas precisam de nós... É complicado sentir que temos ali pequenos seres que acabaram de nascer e já têm tantos problemas... sentimo-nos pequenos face aos problemas deles e penso que nos podemos considerar as pessoas mais felizes do mundo pois os nossos pequenos problemas, aos olhos deles e dos seus familiares, não passam de anedóticos e insignificantes. Adoram receber as visitas dos animadores que lá vão para lhes roubar sorrisos... quem os visita vem de lá um pouco em baixo face à tristeza que brota daqueles pequenos olhos repletos de esperança de um amanha melhor, mas quando de lá se sai sentimos também que somos úteis e que há muitas pessoas neste mundo que precisam do nosso sorriso sincero!
Pesquisando no site da cruz vermelha em portugal decidi-me a informar sobre fazer um curso de primeiros socorros pois ainda hoje me ocorre a ideia de que, se naquele fatidico dia, naquele restaurante alguém tivesse a minima instrução, a pessoa que eu amava não teria morrido daquela forma (o meu avô). Ocorreu-me depois a ideia de pôr o meu tempo à disponibilidade dos que acorrem aos nossos hospitais... para começar. Sei que não é uma luta pequena mas sei que será uma luta que me dará prazer. Durante algum tempo visitei o Hospital dos Queimados da Universidade de Coimbra (pois o meu irmão esteve lá internado devido a um brutal e assustador acidente) e sei bem o que vi e a impotencia que me sentia face aquelas pessoas que, tal como o meu irmão, em segundos se viram tão diferentes... Acompanhei o processo de um menino que estava no quarto ao lado do meu irmão até que um dia cheguei e estava a cama vazia.... E que arrepiu... que vazio eu senti...
Se todos nós pensasemos em dispor do nosso tempo ao serviço dos que mais precisam nem que seja contribuindo com uma palvra de conforto ou com um simples e grandioso sorriso seria tão bom. Sentimo-nos grandes, confiantes e damos alegria e confiança. É importante deixarmos de olhar só para o nosso umbigo pois afinal a vida não passa por estudar/ trabalhar e fazer noitadas.... claro que este aspecto é muito importante, mas aredito que prestar apoio aos que mais precisam é um aspecto tão importante para atingir a máxima alegria de viver... e para que nos sintamos umbilicalmente ligados com a vida e podermos afirmar SINTO-ME ÚTIL... HÁ QUEM PRECISE DE MIM =)

4 comentários:

Ana, dona do café disse...

Minha Joaninha...

não olho para ti de outra forma senão imaginando-te como uma das pessoas mais "humanas", mais atentas "ao próximo" do que tu. A tua lição de vida é, para mim, admirável e quem te conhece sabe que não é falar da boca para fora...
Sempre te julguei especial, não por seres uma das minhas melhores amigas, mas por seres alguém diferente, alguém com uma personalidade e carisma surpreendente, para alem de outras tantas virtudes que já te disse por palavras ou acções.
Realmente o problema de que falas no teu post é real e, ao mesmo tempo, assusta a maioria das pessoas, a simples ideia de "entrar em contacto com", às vezes faz com que as pessoas receiem um pouco a situação. No meu caso, não é a ideia de me "dar", mas porque sei que me envolvo muito e chego "a viver" a vida das pessoas que me rodeiam quando as tento ajudar ou quando têm problemas. Isso torna-me as coisas um bocado mais complicadas. Nunca conseguiria, por exemplo, ser psicóloga, porque andaria sempre deprimida e absorvida pelos problemas dos meus doentes, para já não juntar aos meus. Tento ajudar sempre as pessoas, mas mais pelo diálogo. Até mesmoo sem as conhecer (como é o caso da net), tento sempre roubar-lhes um sorriso que seja, motivá-las...pessoas que têm problemas com drogas, problemas em casa, na escola, no trabalho, com namorado(a)... Estou normalmente aqui na net para conversar, para as descobrir e descobrir nelas algo de bom, para lhes mostrar o que de bom elas têm...Nada me dá mais contentamento do que notar que a outra pessoa se conseguiu descobrir e que esboçou um sorriso ao notar que é única.
Pessoas que como tu, irradiam luz própria e têm uma maneira de pensar como a tua, trazem-me um pouco de conforto, não por fazerem algo que eu não faria, mas por terem o dom de o fazerem de uma maneira perfeita e com o coração aberto, como eu não conseguiria; cobardia minha? não me parece que tenha a ver com isso.
Não me afasto dos meus amigos quando precisam de mim ou têm problemas,não é nada disso, pelo contrário, tento ajudar e conversar com quem quer que seja que me rodeie..também tenho essa "veia",embora tenha um "agir" de maneira diferente.

Fico muito contente que te sintas assim útil, porque é nestas pequeninas coisas que vemos o tamanho do teu coração...(enorme, ou mesmo, sem medida!)
Um beijo enorme maninha, obrigada pelo post :), temos que combinar um café *

Dunyazade disse...

Hum, não é por nada, mas por acaso o teu signo é Peixes?

Anónimo disse...

Depois de uma noite de fotos e mais fotos, aceitei o convite e vim até cá, não para beber um café, já é um pouco tarde para isso, mas para dar uma vista de olhos sobre a escrita. Ao ler "desafios" pensei pegar na caneta e no bloco aqui à mão e tomei a liberdade de deixar um comentário, não quero ser "enxerido" mas achei oportuno mediante o conteúdo do texto:
"Pobre não é aque que não tem,
mas aquele que pede.
Rico não é aquele que tem,
mas aquele que dá."

Bom f.s., vou dormir que a idade não perdoa:)

Ana, dona do café disse...

sou carneiro.. :P *
Dunyazade, o teu blog está qq coisa de fantástico...

ps- anónimo: se me responder que ama fotografia, direi que se chama José Pinto; acertei? :)